Se você chegou até este texto procurando saber como superar o medo, sinto informar, mas você está perdendo o seu tempo!

Você está gastando tempo e energia buscando algo impossível, algo que vai contra a própria natureza humana.

O medo é uma constante com a qual nós temos que aprender a lidar, e não a superar. Você não precisa superar seus medos. O que você precisa é aprender a agir apesar do medo.

Se isso lhe interessa, continue lendo este artigo para saber:

  • O que é e por que você deve desistir de saber como superar o medo
  • Como agir apesar do medo com a técnica do pior cenário
  • Os 6 maiores medos do ser humano
  • Montando um plano de ação para agir apesar do medo

Vamos começar entendendo melhor o que é o medo.

O que é e por que você deve desistir de saber como superar o medo

Medo

O medo é uma resposta do nosso organismo quando nos deparamos com algum estímulo físico ou mental. Essa resposta tem como principal função nos defender.

Para entender melhor isso, vamos precisar pensar em termos evolutivos.

Pense em um dos nossos antepassados, que tinha a sobrevivência como a sua principal diretriz.

Quando se deparava com algum animal desconhecido, ou quando encontrava algum lugar novo, esse antepassado provavelmente sentia medo.

O medo o protegia. Fazia com que ele se escondesse do animal, ou no mínimo tivesse um cuidado maior ao se aproximar.

É o medo que nos impede de fazer coisas que seriam ruins para a nossa saúde. Colocar a mão no fogo, acelerar demais o carro, apostar todo nosso dinheiro na roleta.

Resumindo, o medo evoluiu conosco e está enraizado no nosso DNA. É por isso que querer descobrir como superar o medo de uma vez por todas é uma batalha inútil.

O que você precisa, na verdade, é aprender a agir apesar do medo.

Como agir apesar do medo com a técnica do pior cenário

Como superar o medo

Se o medo evoluiu conosco e é impossível superá-lo definitivamente, o que nos resta fazer? Nós precisamos aprender a lidar com o medo, precisamos aprender a agir apesar dele.

Para isso, existe uma técnica chamada Fear-Setting que foi popularizada por Tim Ferriss em uma palestra no TED Ed.

Essa técnica é baseada em um antigo exercício proposto por Séneca chamado Praemeditatio Malorum, que significa a Pré-Meditação Sobre os Males.

A técnica parte do princípio que definir os seus próprios medos é mais importante do que definir as suas metas. Isso porque ter clareza dos seus medos é essencial para entender suas próprias emoções e assim agir apesar do medo.

Nós sofremos mais com os medos que existem na nossa mente do que com os reais perigos que a vida nos apresenta.

Com o Fear-Setting, você consegue distinguir aquilo que pode controlar e o que está fora do seu controle. E aprende a focar apenas no que pode controlar.

O exercício é relativamente simples. Você deve analisar e descrever em detalhes os piores cenários possíveis. As coisas que você mais têm medo na vida e que estão impedindo você de agir para realizar os seus maiores objetivos.

3 passos para definir seus medos

Fear-setting

Esse exercício deve ser feito em três passos.

O primeiro passo se chama “E se eu…?”.

Nesse primeiro passo, você deve traçar três colunas em uma folha de papel e definir na primeira coluna os seus 10 maiores medos, as 10 piores coisas que poderiam acontecer na sua vida.

Na segunda coluna, escreva as 10 maneiras de prevenir cada um desses 10 maiores medos. Você deve responder à pergunta “O que eu posso fazer para evitar que estes cenários aconteçam ou para, pelo menos, diminuir a sua probabilidade de acontecerem, mesmo que ligeiramente?”

Por fim, na terceira coluna, escreva as 10 maneiras de reparar cada um desses 10 maiores medos, caso eles venham a acontecer. Para isso, responda à questão “Se os piores cenários acontecerem, o que eu posso fazer para reparar os estragos, nem que seja ligeiramente, ou a quem você pode pedir ajuda?”.

Por exemplo, digamos que o seu maior medo na vida é ficar desempregado. Escreva isso na primeira coluna.

Na segunda coluna, escreva o que você poderia fazer para evitar ficar desempregado. E na terceira coluna escreva o que você precisaria fazer caso realmente viesse a ficar desempregado.

Aula Especial

Como descobrir seus valores

Descubra segredo nº 1 que pessoas comuns estão usando para assumir o controle do próprio futuro aprendendo a montar um plano de vida capaz de transformar os seus maiores sonhos em realidade, passo a passo e começando absolutamente do ZERO!

Quero receber a aula

O segundo passo é responder à seguinte pergunta: “Se eu entrar em ação apesar do medo, quais podem ser os benefícios de uma tentativa ou mesmo de um sucesso parcial?”

Esse segundo passo nos traz clareza sobre quais podem ser os benefícios se formos minimamente bem sucedidos na nossa tentativa de agir apesar do medo.

Reflita bem para responder esse segundo passo. O ideal é você passar pelo menos entre 10 e 15 minutos formulando a sua resposta.

O terceiro e último passo se chama “O Custo da Inatividade”.

Aqui você deve escrever o que vai lhe custar emocionalmente, fisicamente e até financeiramente se você ceder ao medo e não entrar em ação.

Primeiro escreva o que a falta de ação vai lhe custar nos próximos 6 meses. Depois, em um ano. E, finalmente, o que a inércia vai lhe custar daqui a 3 anos se você não entrar em ação.

Nós somos bons em imaginar o que pode dar errado se nós tentarmos fazer alguma coisa. Mas poucos de nós consegue pensar com exatidão sobre o que pode acontecer se nós não fizermos alguma coisa.

Por exemplo, o que vai custar para a sua saúde se você não fizer exercícios físicos nos próximos 6 meses? O que vai custar dentro de um ano? E dentro de 3 anos?

Toda decisão que nós tomamos – seja a de fazer ou de não fazer algo – tem um custo. O terceiro passo do Fear-Setting tem como objetivo deixar claro que custo é esse.

O ideal é que você faça esse exercício pelo menos uma vez a cada três meses, para analisar o que está te parando e entender como agir apesar do medo.

Os 6 maiores medos do ser humano

Como superar o medo

Agora que você sabe como definir os seus maiores medos, talvez seja hora de dar uma olhada se os seus receios são similares aos da maioria das pessoas.

Existem diversas relações que listam os maiores medos do ser humano. Aqui vamos usar a lista de 6 medos escrita por Napoleon Hill no clássico livro A Lei do Triunfo.

Esse livro foi escrito em 1928, quando um grande empresário pediu que Napoleon Hill pesquisasse as pessoas mais bem sucedidas de sua época para entender o que elas tinham em comum.

A pesquisa durou cerca de 20 anos, analisando quase 6 mil homens e mulheres de extremo sucesso. Além de identificar os hábitos e atitudes comuns a todos eles, o estudo também mostrou quais eram os seus maiores medos.

A lista final foi a seguinte:

  1. O medo da pobreza
  2. O medo da crítica
  3. O medo de problemas de saúde
  4. O medo da perda do amor de alguém
  5. O medo da velhice
  6. O medo da morte

Se você realizou o exercício do Fear-Setting conforme descrito acima, provavelmente um ou mais desses medos apareceram na sua lista.

E agora que você já os identificou, é hora de fazer um planejamento para agir apesar deles.

Montando um plano de ação para agir apesar do medo

Medo

Percorremos um longo caminho até aqui para compreender melhor a natureza do medo.

Primeiro, vimos que o medo é um aliado, um componente que nos ajudou a evoluir e a evitar perigos desnecessários.

Depois, entendemos que a maioria dos nossos medos existe apenas na nossa mente, quase nunca na vida real.

E aprendemos um exercício prático para definir os piores cenários possíveis, antecipando por escrito tudo o que podemos fazer para prevenir ou reparar esses medos.

Por fim, conhecemos quais são os 6 maiores medos do ser humano.

O que nos resta, agora, é entrar em ação. E para isso nós precisamos de um plano de vida, de um passo a passo para agir apesar do medo.

Esse plano de vida deve conter desde os seus maiores e mais abstratos sonhos até o próximo passo prático que você precisa dar para transformar esses sonhos em realidade, mesmo que tenha que agir apesar do medo.

Um dos primeiros componentes desse plano de vida deve ser uma lista hierárquica dos seus mais importantes valores pessoais.

Com clareza dos seus valores, você terá uma facilidade maior em pesar o custo da inatividade, o peso de se deixar paralisar pelos seus medos.

Eu gravei uma aula especial do curso Planejando Sua Vida com técnicas sobre como você pode descobrir os seus valores. Você pode assistir a essa aula especial agora mesmo clicando neste link.

Seiiti Arata

Orientador nos cursos Arata Academy, que já impactaram dezenas de milhares de estudantes em cinco continentes. Profissional de desenvolvimento pessoal considerado escolha número um (top of mind) por líderes, empresários, estudantes e formadores de opinião.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4.838 membros Ícone do Desafio jfb_p_buttontext

Não perca essa oportunidade:
Comece a mudar agora mesmo

Basta um clique no botão abaixo:

jfb_p_buttontext