Você já pensou em investir no exterior mas nunca transformou esse pensamento em realidade por achar que é tudo muito complicado?

Você já quis alguma vez colocar seu dinheiro nas maiores empresas do mundo, mas não conseguiu ver nenhuma delas listada na bolsa de valores brasileira?

Você gostaria de diversificar seus investimentos, ter mais segurança e aumentar seus rendimentos em renda variável mesmo quando a economia do Brasil vai mal?

Se você respondeu a sim para qualquer uma dessas perguntas, o artigo de hoje é para você. Nele nós vamos ver em detalhes:

  • Por que investir no exterior é uma medida de segurança que você deve adotar hoje mesmo
  • Como investir no exterior de forma simples
  • Cuidados que você precisa ter ao investir fora do Brasil
  • Como ficaria sua carteira se você tivesse investimentos estrangeiros

O primeiro passo é entender por que você deveria investir no exterior.

Por que investir no exterior é uma medida de segurança que você deve adotar hoje mesmo

Como investir no exterior

Se você conhece pelo menos o básico de finanças, já deve ter ouvido o conselho de diversificar os seus investimentos. De não deixar todos os ovos em uma mesma cesta.

A maioria das pessoas entende este conselho como não deixar todo o dinheiro em um só ativo ou em uma só classe de ativo.

Ou seja, elas não deixam tudo o que têm só em uma ação. Ou só em um título público. Ou só em um fundo imobiliário.

Ao contrário, pessoas que sabem investir fazem uma alocação de ativos e distribuem seu patrimônio entre os diversos tipos de investimentos disponíveis.

O problema é que, quase sempre, todos esses investimentos estão aqui no Brasil. Em outras palavras, de uma forma ou de outra, todos os investimentos estão em uma cesta só.

Isso traz uma série de riscos. O principal deles é que todos os seus investimentos acabam sob uma mesma regulação, com uma mesma moeda, dependendo de uma mesma economia nacional.

Investir no exterior, portanto, é uma forma de diversificar os seus investimentos não apenas entre diferentes classes de ativos, mas também entre outras leis, outras moedas e outras economias.

Além disso, em vez de ficar limitado unicamente às opções disponíveis no Brasil, ao investir no exterior você passa a ter acesso a um leque infinitamente maior de alternativas de investimento.

Por exemplo, algumas das maiores empresas do mundo são de origem americana e estão listadas principalmente na bolsa dos Estados Unidos. Lá também estão pequenas empresas extremamente inovadoras, que oferecem um grande potencial, tanto de lucro quanto de perda.

Isso sem contar que o dólar americano é uma espécie de moeda padrão do comércio internacional que normalmente possui uma relação inversamente proporcional à bolsa brasileira. Ou seja, quando o dólar sobe, em regra a bolsa cai. E vice-versa.

Ter investimentos em dólar americano, portanto, é uma espécie de proteção contra grandes movimentos na renda variável. O que os especialistas chamam de hedge ou cobertura.

Por isso vamos utilizar os Estados Unidos como exemplo de investimento no exterior no restante deste artigo. Mas praticamente tudo o que falarmos aqui serve também para investimentos em outras economias desenvolvidas.

Entendida a importância de investir no exterior até como medida de segurança, vamos ver como fazer isso de forma simples.

Como investir no exterior de forma simples

Investir fora do Brasil

Para investir nos Estados Unidos você não precisa ir até lá, não precisa ter visto, não precisa nem mesmo saber falar inglês. Você só precisa de uma conexão com a internet.

Acessando o site de alguma corretora norte-americana preparada para atender o público estrangeiro, você pode rapidamente criar um login, enviar digitalmente os seus documentos e em poucos dias ter sua conta aberta.

Não estamos endossando nenhuma delas, mas só para você ter como exemplo, algumas corretoras norte-americanas que atendem o público estrangeiro são a TD Ameritrade, a DriveWealth e a Interactive Brokers.

Uma vez que a sua conta na corretora esteja aberta, tudo o que você precisa fazer é enviar dinheiro para essa conta e começar a investir da mesma forma como faz com investimentos brasileiros.

Para enviar o dinheiro ao exterior, você pode usar o seu próprio banco ou se valer de serviços especializados como o Remessa Online ou o Transfer Wise, por exemplo.

Apenas fique atento para os custos de envio do dinheiro. Em regra, o ideal é juntar algum dinheiro, pelo menos 300 dólares para ser enviado por remessa.

A partir daí, o dinheiro que ganhar nos seus investimentos podem ser reinvestidos no exterior (o mais recomendado), resgatados para o Brasil ou até mesmo transferidos para uma conta corrente que você venha a abrir no mesmo país para gastar em compras internacionais.

Cuidados que você precisa ter ao investir fora do Brasil

Investimento no exterior

Assim como você deve ter certos cuidados ao investir no Brasil, também é necessário ter cautela ao investir no exterior.

O primeiro ponto diz respeito à liquidez desses investimentos. Como o seu dinheiro estará no exterior, não será tão rápido e prático resgatá-lo em caso de uma emergência.

Por isso, o recomendado é que seja destinado ao exterior aquele dinheiro que você tem menos chances de precisar em uma emergência, ou você pode acabar com dívidas pela falta de liquidez.

O segundo cuidado está no momento da remessa do dinheiro ao exterior. Você precisa se certificar de que o seu banco ou a sua casa de câmbio está informando corretamente à Receita Federal do Brasil que aquele dinheiro é destinado a investimento em ações.

Por fim, você precisa fazer corretamente a declaração dos investimentos no exterior no seu Imposto de Renda.

Essa declaração precisa ser feita apenas no Brasil, não nos Estados Unidos. Isso vale para todos os países com os quais o Brasil tem um acordo de reciprocidade para reter aqui os impostos devidos.

Grandes investidores (acima de 100 mil dólares, em regra) precisam fazer uma declaração específica. Mas para a maioria das pessoas só é preciso declarar os valores investidos, convertendo tudo para real.

Como ficaria sua carteira se você tivesse investimentos estrangeiros

Investimento fora do Brasil

Neste artigo, você viu que investir no exterior possui vantagens como a diversificação do seu patrimônio, a maior proteção monetária e legal do seu dinheiro e a facilidade de fazer tudo online.

Agora, se você já possui uma carteira de investimentos no Brasil, eu gostaria que você imaginasse como seu patrimônio ficaria se você começasse a alocar parte desses recursos fora do país.

Dentro de uma lógica de alocação de ativos, os investimentos no exterior provavelmente ficarão entre renda variável (ações e ETFs) e fundos imobiliários (nos Estados Unidos chamados de REIT – Real Estate Investment Trust).

Você pode começar hoje mesmo a alocar seus investimentos dessa forma. Escolha uma corretora no exterior, abra sua conta e envie o dinheiro.

Depois escolha os ativos e comece a fazer aportes regulares e a reinvestir os ganhos que obtiver.

Se você não sabe como fazer isso e ainda tem muitas dúvidas sobre a melhor maneira de lidar com seu dinheiro, a Arata Academy possui um curso de enriquecimento financeiro chamado A Classe Alta.

Clicando neste link, você recebe de imediato e gratuitamente uma aula especial sobre tabus do dinheiro e começa hoje mesmo sua jornada para ser financeiramente independente.

Seiiti Arata

Orientador nos cursos Arata Academy, que já impactaram dezenas de milhares de estudantes em cinco continentes. Profissional de desenvolvimento pessoal considerado escolha número um (top of mind) por líderes, empresários, estudantes e formadores de opinião.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não perca essa oportunidade:
Comece a mudar agora mesmo

Basta um clique no botão abaixo:

jfb_p_buttontext